Dois mineiros, reconhecidamente “adversários” políticos, um da cidade (o “Coroné”) e outro caipira do interior (o “Mineirim”) se encontraram na única barbearia da cidade.

Lá sentados, lado a lado, não trocavam uma só palavra.

Os barbeiros temiam o início de qualquer conversa, pois poderia descambar para discussão e o Coroné tinha fama de brabo. E sempre andava armado.

Terminaram a barba de seus clientes, mais ou menos ao mesmo tempo.

O barbeiro que atendeu o Coroné estendeu o braço para pegar a loção pós-barba, no que foi interrompido rapidamente por seu cliente, que disse:

– Não, obrigado. A minha esposa vai sentir o cheiro e pensar que eu estive num puteiro!

O outro barbeiro virou-se para o Mineirim:

– E o senhor, quer a loção? – indagou.

– Uai, popassá, sô! Minha muié num sabe memo como é cheiro de puteiro.
Nunca trabaiô lá…

(A barbearia está fechada até hoje, para reforma!)

Melo Maluco e o Taxista. Por José Vasconcelos

José Vasconcelos conta com muito humor a sensacional história do coronel que resolveu dar um corretivo no taxista que se achava macho.

Sente em sua poltrona, aperte os cintos que o humor vai decolar…




Segura a F1000

Pensa na frustração do sujeito, compra um veículo de marca e traçado, mas na hora de enfrentar a subida ela patina, patina e patina até conseguir.

Diante disso o proprietário solta a perola “Se essa daqui não subiu imagine as outras”.

 

😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂

Quem ganhou essa disputa foi o freezer que não deixou a F.1000 patinar como a Mitsubish

 

 

Viu o que?

A professora ia entrando na sala de aula, quando tropeçou no degrau da porta. Ela então começa a perguntar para os alunos:
– Juquinha, o que você viu? 
Ele responde:
– Suas pernas, professora. 
Uma semana de suspensão! Manuel, o que você viu? 
– Suas coxas, professora. 
Ela então dá duas semanas de suspensão pra ele.
– Joãozinho, o que você viu ? 
Ele então vai juntando os materiais, saindo, passa pela porta, se vira para trás e diz:
– Tchau pessoal, até o ano que vem…